Atualmente, os fãs da Marvel precisam de dois dias, duas horas e três minutos para assistir aos 23 filmes do MCU. Mesmo se você pular os créditos, é muito para qualquer pessoa. Não é de admirar que as pessoas que perderam os primeiros filmes relutem em tentar entrar neste vasto universo dez anos depois.

Anos de continuidade cada vez mais complexa são a razão pela qual os quadrinhos são reiniciados com tanta frequência em primeiro lugar, apagando regularmente tudo o que veio antes para tentar atrair novos leitores sobrecarregados por décadas de história.

Em vez de evitar essa confusão, a Marvel está se inclinando mais do que nunca para fortalecer as conexões entre todos os seus filmes e agora seus programas de TV também.


Histórias altamente interligadas

Em uma entrevista recente à Bloomberg, o chefe da Marvel, Kevin Feige, confirmou que o público precisará acompanhar todos os programas de super-heróis do Disney+ para entender seus filmes.

“Se você quiser entender tudo nos futuros filmes da Marvel, provavelmente precisará de uma assinatura do Disney+”, disse o executivo.

Os eventos dos novos programas serão considerados nos filmes futuros, como Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. A Feiticeira Escarlate será uma personagem-chave nesse filme, e Feige ressalta que a série do Loki também estará interligada.

Por um lado, é incrível para os fãs ver os quadrinhos da Marvel trazidos à vida dessa maneira. Por décadas, o que aconteceu em um título sempre teve um impacto duradouro nos outros, e a natureza interconectada desses programas replicará isso de maneiras que antes eram inimagináveis pelos fãs.

Mas e todos os outros? Isso é ótimo para os consumidores obstinados do entretenimento da Marvel, mas e as pessoas que apenas passam pelo cinema local para ver o que está acontecendo?

Mesmo as pessoas que assistiram apenas quinze (!) filmes do MCU ainda devem saber o que aconteceu nos 23 para entender completamente os novos lançamentos – e esse problema só será agravado ainda mais quando os programas do Disney+ chegarem.

Bilhões de dólares são gastos em ingressos para esses filmes, mas todos esses consumidores desembolsarão dinheiro para uma conta do Disney+ também? E mesmo que o façam, todos estarão dispostos a dedicar seis, oito ou até dez horas apenas para que possam entender um filme no futuro?

Do ponto de vista de marketing, é genial. Ao fazer séries como Loki e WandaVision essenciais para o MCU como um todo, a Disney tem mais assinantes garantidos do que poderiam ter atraído de outra forma.

Mas dificilmente parece justo. Com todos esses novos serviços de streaming em nosso caminho, um conteúdo mais diversificado está disponível para nós do que nunca, mas também a um custo mais alto. Os ingressos para o cinema já são caros, portanto, os clientes não precisam investir mais tempo e dinheiro no Disney+ apenas para evitar confusão com futuros filmes da Marvel.

Segunda tentativa

Como você deve se lembrar, não seria a primeira vez que a Marvel tentaria conectar seus filmes e programas em um universo coeso. Enquanto personagens como Demolidor e Justiceiro não estão mais conosco, não faz muito tempo que a Marvel vendeu esses programas para nós como partes totalmente integradas do MCU.

Em retrospectiva, isso não aconteceu como todos esperávamos. Em vez de ter crossovers significativos entre os programas da Netflix e os filmes da Marvel, os fãs foram submetidos a incontáveis referências sem grande importância – e nada de Defensores nos cinemas.

Na época, os espectadores consideravam isso uma coisa ruim, mas agora que a Marvel está seguindo em frente com sua estratégia conectiva com força total, parece que os programas da Netflix realmente tiveram a ideia certa. Imagine ser forçado a assistir a primeira temporada de Punho de Ferro para entender as cenas de Vingadores: Ultimato!

Dizendo isso, é seguro supor que os próximos filmes tentarão evitar esse problema em sua maior parte, facilitando aos novatos com algum tipo de recapitulação de todos os programas relevantes. Se isso realmente funcionará na prática é outra história.

Com mais opções de filmes e TV aparecendo a cada dia, exigir lealdade inabalável à marca dessa maneira poderia alienar o número de fãs que ela atrai.

Atualmente, há mais de dois dias de exibição no MCU contando todos os filmes, e isso nem inclui séries de TV anteriores que se conectavam aos filmes à distância. Agora que os novos programas estão sendo apresentados como essenciais, essas horas de exibição em breve parecerão bastante pequenas em comparação, e se você perder muito, lançamentos futuros como Vingadores 5 poderão em breve ser incompreensíveis.