Victor Frankenstein, dirigido por Paul McGuigan, diretor de alguns dos melhores episódios da série Sherlock da BBC, conta a história de como Victor Frankenstein (James McAvoy) e Igor (Daniel Radcliffe) se conheceram.

O filme logo de cara se destaca de grande parte, se não de todos os filmes sobre a criação de Mary Shelley, escritora do livro “Frankenstein”, por não tratar da criação do monstro e das consequências de sua existência e sim por mostrar como Victor e Igor se conheceram. Victor Frankenstein toma algumas liberdades dentro do que já é definido da história, como Igor, que na história é corcunda e já nesse filme não é, pelo menos não como conhecemos, mas essas liberdades acabam não subtraindo nada da história, e de certo modo até servem para adicionar uma certa credibilidade para a história que está sendo contada.

O maior erro que Victor Frankenstein comete são suas inconsistências de roteiro, como o fato de Igor ser uma pessoa tão inteligente, de certo modo até mais que o próprio Frankenstein, mas ainda sim ser tão manipulável. Ou personagens se contradizendo no decorrer do filme sem ter uma progressão bem definida do por que estarem mudando de opinião; Frankenstein em certo ponto fala que é proibido para Igor entrar em um local da casa, e sem o filme desenvolver de maneira clara a evolução da confiança de Frankenstein em Igor, ele deixa Igor entrar no local mencionado.


Duas coisas balanceiam essas inconsistências da história, mantendo a qualidade de Victor Frankenstein. Primeiro, a parte visual do filme, que é extremamente bonita, com uma mistura de elementos visuais de horror e de ficção, e também através de elementos gráficos e ilustrações sobrepondo a imagem do filme em alguns pontos, técnica já utilizada por Paul McGuigan quando dirigiu na série Sherlock.

E depois as atuações, especialmente as de James McAvoy, que consegue passar genialidade e loucura juntas e separadas de maneira perfeita, e Andrew Scott, que no filme faz um inspetor da Scotland Yard que está investigando um crime no qual Frankenstein está envolvido, e que consegue com maestria transmitir o fanatismo religioso de um homem, fanatismo esse que o leva a tomar ações drásticas sem antes pensar nelas.

Victor Frankenstein é interessante de ser visto, se não por sua visão inovadora sobre uma história já adaptada inúmeras vezes, ou por seu visual, que em partes chega a ser hipnotizante, então pelas atuações que estão em grande parte, excelentes.

Victor Frankenstein