O nome Barbra Streisand é conhecido amplamente no mundo da música, mas o que muitos talvez não saibam é que a mesma já figurou como diretora no cinema.

Recentemente, Barbra fez reclamações a respeito do machismo em Hollywood e alegou que seus trabalhos nos filmes Yentl e Príncipe das Marés foram prejudicado pelas atitudes misóginas da indústria, que a teria boicotado no Oscar.

O primeiro longa de Streisand havia concorrido em seis categorias, ganhando a estatueta de Melhor Trilha Sonora Original, mas o segundo perdeu em todas, o que Streisand acha muito estranho.


“Havia muitos diretores bem mais velhos e eles não queriam ver uma mulher como diretora”, contou ela no Tribeca Film Festival, em Nova York. “E, pasmem, havia outras mulheres que também não queriam ver uma mulher como diretora. Hoje, claro, há muito mais mulheres nesse segmento, mas ainda não é o suficiente”, desabafa ela.