Mario Ambrose Antoine pode ser condenado a 10 anos de prisão por ter se passado por produtor de filmes pornográficos para transar com dezenas de mulheres.

Segundo o site Kansas City Star, Mario falsificava documentos, criava empresas falsas e convencia suas vítimas a transarem com ele como parte de um processo de seleção para os filmes.

As mulheres abusadas prestaram depoimento sobre o caso e revelaram que ele recrutava as garotas pelo Facebook. Em seguida, as convencia a filmar uma cena de sexo com ele, dizendo que seria um teste para uma de seus supostos filmes.


Algumas de suas vítimas denunciaram Mario após descobrirem cenas dos falsos testes na internet. O julgamento está marcado para o dia 13 de setembro.