Um processo misterioso foi colocado para a apreciação da corte da Califórnia (EUA) nessa segunda (13), segundo o THR.

O processo não identifica nem a acusadora nem os réus, mas denuncia pelo menos 10 pessoas por se fazerem passar por uma atriz em ligações telefônicas “de natureza sexual” com produtores e diretores da indústria do entretenimento.

A acusadora é representada pela mesma firma de advogados (Orrick, Herrington & Sutcliffe) que representa clientes como a Netflix e a Verizon, duas das maiores empresas americanas.


De acordo com o processo, os réus usaram sites como o GoDaddy e o ProofPoint para simularem o endereço de e-mail e o telefone da acusada para fazer as “pegadinhas”.

O processo vem em meio a uma onda de denúncias de assédio sexual em Hollywood, que começaram com o produtor Harvey Weinstein e tem se espalhado para vários outros membros da indústria, mais notavelmente James Toback, Kevin Spacey e Louis C.K..