Em entrevista ao The Hollywood Reporter, o astro Tom Hanks confessou que não está surpreso com a onda de acusações de assédio sexual saindo de Hollywood.

“Há muitas razões pelas quais as pessoas fazem cinema. Fazer um filme é uma experiência de vida que pode criar muita alegria, mas também há pessoas que não estão aqui para isso. Elas só entraram nesse negócio para se sentirem poderosas”, criticou o ator, vencedor de dois Oscar.

“O momento em que elas conseguem o máximo de poder é quando flertam ou assediam alguém que está em uma posição inferior a elas. Há predadores de todos os tipos, em todos os lugares, mas eu não acho que é tarde para mudarmos as coisas”, argumentou ainda.


“Eu não acho que é tarde para estabelecermos regras – se você não segui-las, não pode trabalhar aqui. Isso não é algo ruim, de forma nenhuma. Ninguém é velho demais para aprender comportamentos novos. Toda profissão tem um código de ética e comportamento”, disse por fim.

As acusações de assédio em Hollywood começaram com uma matéria do The New York Times relatando a conduta do produtor Harvey Weinstein, que desde então foi afastado de sua companhia (a The Weinstein Company). Enquanto isso, nomes como Kevin Spacey, Louis C.K., Brett Ratner e Jeffrey Tambor, entre muitos outros, enfrentaram denúncias similares.

Hanks retorna aos cinemas em The Post – A Guerra Secreta, filme de Steven Spielberg em que contracena com Meryl Streep, que chega aos cinemas brasileiros em 1º de fevereiro de 2018.