Jill Messick, produtora executiva de Hollywood e ex-produtora da atriz Rose McGowan, morreu na última quarta (07) aos 50 anos.

Segundo familiares, Messick se suicidou. Em um publicação feita ao longo das notícias hoje, a família indica que Jill sofreu efeitos colaterais entre a briga de McGowan com Harvey Weinstein, ex-produtor de Hollywood que foi acusado de assediar e abusar sexualmente de McGowan.

A família informou que, por conta de toda essa situação e do envolvimento de Jill nos conflitos, ela acabou tendo depressão e começou a ter um comportamento bipolar.


Messick passou 10 anos de sua carreira produzindo filmes para a Paramount e Miramax. Em janeiro de 2018, seu nome foi mencionado no caso Weinstein/McGowan. Segundo informações, Harvey usou e-mails dela e de Ben Affleck para refutar as alegações de McGowan, feitas em seu livro, no qual acusou de Harvey de tê-la estuprado. A revelação do e-mail, de acordo com a família, a devastou.

“Ver seu nome nas manchetes de novo e de novo, como parte de uma pessoa ter mais atenção que a outra, junto com a tentativa desesperada de Harvey de se defender, foi devastador para ela. Quebrou Jill, que foi estava começando a colocar sua vida nos eixos”, é escrito em parte do comunicado.

Jill deixou duas filhas, seu pai e seu irmão e o namorado.