Um novo livro biográfico do Príncipe Harry revela que ele passou “muito, muito perto da morte” enquanto servia com o exército britânico no Afeganistão, em 2007.

A repórter Katie Nicholl, que por anos acompanhou a família real para o Mail on Sunday, é a autora da nova biografia, que entra em detalhes até então inéditos sobre o serviço de Harry no exército.

O Príncipe passou 10 semanas no Afeganistão lutando ao lado de compatriotas. O Capitão Dickon Leigh-Wood, que serviu com o neto da Rainha Elizabeth II, foi quem contou sobre o incidente que quase tirou a vida de Harry.


Veja o Príncipe Harry e Meghan Markle se apaixonando em trailer de filme sobre o casal

“Um dos veículos em que estávamos, de repente notou uma fagulha logo embaixo do tanque de gasolina do carro da frente, e todo mundo foi ordenado a parar. Naquela hora, você automaticamente pensa: ‘Acabou para mim, vou morrer'”, conta Leigh-Wood, se referindo à possibilidade de um explosivo na estrada.

“No fim das contas, havia mesmo uma bomba, mas os nossos veículos passaram em torno de 15 centímetros a esquerda dela, o que é uma marges aterrorizantemente pequena. Se qualquer um de nós tivesse passado 15 centímetros para o lado, teríamos morrido”, diz ainda.

Uma pessoa que deve agradecer por esses 15 centímetros de diferença é a atriz Meghan Markle, que deve se casar com o Príncipe Harry no dia 19 de maio de 2018.