A roteirista Elisabeth R. Finch contou sua própria história de #MeToo em uma coluna especial para o THR, dizendo que um diretor da série The Vampire Diaries, para a qual trabalhava, a assediou no set.

Finch estava supervisionando o primeiro dia de filmagens de um episódio que ela escreveu, e foi conversar com o diretor sobre a ausência de um ator nos ensaios – em resposta, ele “acariciou e apertou suas bochechas, em seguida a chamando de ‘c*nt'”, um palavrão americano relacionado ao órgão sexual feminino.

Nina Dobrev vai voltar para a TV com sitcom após fim de The Vampire Diaries


Os toques e conversas inapropriadas continuaram durante a produção do episódio, e Finch clama ter ouvido piadas feitas pelo diretor sobre o corpo de algumas das atrizes da série. Ao final das filmagens, Finch topou com a showrunner Julie Plec, a quem contou todo o acontecido.

“Julie começou a gritar comigo, dizendo que eu não deveria ter aguentado o abuso por tanto tempo, fingindo que estava tudo bem. Que eu deveria tê-la dito no primeiro dia. Naquele momento, percebi que os gritos dela não eram contra mim, mas para me ajudar”, escreve Finch.

Segundo Finch, o diretor nunca mais trabalhou em The Vampire Diaries.