Kevin Spacey foi alvo de uma série de acusações de assédio sexual contra homens no final do ano passado. O fato fez com que o ator fosse demitido da série House of Cards da Netflix e fez com que Ridley Scott o substituísse de última hora por Christopher Plummer no longa Todo o Dinheiro do Mundo.

Entretanto, se a maior parte do público enxerga Spacey como um predador sexual, esse não é o caso do diretor de cinema italiano Bernardo Bertolucci.

Promotoria de Los Angeles está investigando caso de assédio de Kevin Spacey


O diretor de O Último Tango em Paris criticou a postura de Scott, informou o The Hollywood Reporter. O diretor teria dito durante uma conferência de imprensa que escreveu para o editor dos filmes de Scott que “ele deveria se sentir envergonhado” por ter sucumbido à pressão do público.

“E eu quero fazer um filme com Kevin Spacey imediatamente” ele disse, chegando a ser aplaudido pela platéia. O diretor ainda disse que apoia o movimento #MeToo e que quer um ambiente melhor para as pessoas no meio da indústria cinematográfica.

Vale ressaltar que Bertolucci não está alheio a polêmicas. O diretor é até hoje criticado por ter, junto de Marlon Brando, orquestrado uma cena de estupro real da atriz Maria Schneider no filme O Último Tango em Paris. Ele nega sentir remorso sobre o caso.