Pamela Anderson entrou em uma briga por seu amigo, Julian Assange, fundador do polêmico site WikiLeaks.

A ex-estrela de S.O.S. Malibu foi perguntada durante aparição no Good Morning Britain sobre sua relação com Assange, um procurado político que se refugiou na embaixada equatoriana em Londres (Inglaterra) em 2012 e não pode sair de lá sem ser preso.

“Ele está passando por algo terrível. Ele é um prisioneiro político no coração de Londres. É algo que eu nunca ouvi falar antes. Ele está cortado de todo mundo, se não me engano só seus advogados podem visitá-lo”, contou.


“Eu estou preocupada com a saúde dele. Eu acho que isso é uma forma de tortura, sinceramente”, disse ainda. “Nós precisamos de alguém como Julian nesse momento do mundo, e não é uma coincidência que ele esteja sendo silenciado”.

“Eu acho que é uma situação de direitos humanos sendo violados, acho que ele está passando por abuso”, completou.

Filho de Pamela Anderson bate no pai após atriz acusá-lo de violência doméstica

A apresentadora do Good Morning Britain, Susanna Reid, então interveio: “Bom, muita gente acha que ele merece…”.

“Ser abusado?”, interrompeu Anderson.

“Encarar algum tipo de justiça pelo que ele fez”, esclareceu a apresentadora.

“Justiça pelo quê? Por dizer a verdade e expor crimes de guerra? Ele não é o réu, ele é o mensageiro. Vocês deveriam saber disso, são jornalistas!”, rebateu a atriz.

Anderson e Reid não tocaram no assunto das acusações de assédio sexual e estupro contra Assange, que são oficialmente a causa do seu mandado de prisão – em oposição ao seu trabalho no WikiLeaks.