Brendan Fraser diz que a HFPA (sigla em inglês para Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood), que concede anualmente o Globo de Ouro, tentou obrigá-lo a retirar a denúncia de assédio que ele fez contra o jornalista Philip Berk, um dos votantes da premiação.

Fraser disse à GQ que a investigação que a HFPA começou oficialmente em fevereiro para “apurar o caso” foi “uma enorme fraude”.

“Eles me enviaram uma carta pouco depois dizendo que, ‘embora tenha sido estabelecido que o Sr. Berk tocou o Sr. Fraser inapropriadamente, o ato foi feito como uma piada entre amigos'”, contou.


A Múmia | Diretor revela razão da ausência de Brendan Fraser no reboot

“Eles me enviaram um modelo de declaração oficial que sugeriam que eu enviasse a imprensa, dizendo que foi tudo uma brincadeira, mas eu me recusei a assinar. Se foi uma piada, eu não entendi a graça”, comentou o ator ainda.

Procurado pela imprensa, o próprio Berk afirmou “não ter visto o relatório de conclusão da investigação da HFPA”, ou a proposta declaração oficial que Fraser diz ter recusado. “Eles só me disseram que a investigação me absolveu de qualquer culpa no incidente”, disse.

Fraser reconta um incidente acontecido na festa do Globo de Ouro de 2003, quando Berk atuava como presidente da Associação. Segundo ele, o jornalista apalpou seu bumbum enquanto ele entregava um prêmio.