A família de Michael Jackson criticou o Festival Sundance de Cinema por exibir um novo documentário que alega que o falecido músico Michael Jackson abusou sexualmente de dois garotos.

O longa de 233 minutos, intitulado “Leaving Neverland”, dirigido pelo vencedor do BAFTA, Dan Reed, está na programação do festival anual que acontecerá este mês.

A sinopse do documentário diz: “No auge de seu estrelato, Michael Jackson começou relacionamentos duradouros com dois garotos de 7 e 10 anos e suas famílias. Agora com 30 anos, eles contam a história de como foram abusados ​​sexualmente por Jackson e como chegaram a um acordo para ficarem calados anos depois.”


Ator de As Visões da Raven diz ser filho de Michael Jackson e quer herança do cantor

O documentário traz entrevistas com James Safechuck e Wade Robson, que alegam ter sido molestados por Michael Jackson quando ainda eram crianças.

“Como um dos ícones mais famosos do mundo, Michael Jackson representa muitas coisas para muitas pessoas – uma estrela pop, um humanitário, um ídolo amado. Quando alegações de abuso sexual por Jackson envolvendo garotos jovens surgiram em 1993, muitos acharam difícil acreditar que o Rei do Pop pudesse ser culpado de tais atos indescritíveis. Em histórias separadas, mas paralelas, que ecoam uma à outra, dois meninos foram ajudados por Jackson, que os convidou para o seu mundo singular e maravilhoso. Seduzidos pela existência do conto de fadas do cantor e encantados com o relacionamento entre eles, as famílias de ambos os meninos ficaram cegas quanto à manipulação e o abuso que ele acabaria por sujeitar. Através de entrevistas angustiantes com homens agora adultos e suas famílias, ‘Leaving Neverland’ produz um retrato de exploração e fraude contínuas, documentando o poder da celebridade que permitiu a uma figura reverenciada se infiltrar na vida de crianças e seus pais”, diz uma descrição oficial da programação do Festival Sundance de Cinema.

Ações judiciais movidas por Robson e Safechuck contra Jackson foram rejeitadas por um juiz em Los Angeles em 2017.

Em um comunicado feito à revista Rolling Stone, a família de Michael Jackson detonou o festival por exibir o documentário: “Esta é mais uma produção sinistra em uma tentativa ultrajante e patética de explorar e lucrar com Michael Jackson. Wade Robson e James Safechuck testemunharam sob juramento que Michael nunca fez nada inapropriado para eles. Safechuck e Robson, este último autoproclamado ‘mestre do engano’, entraram com ações judiciais contra a propriedade de Michael, pedindo milhões de dólares. Ambas as ações foram rejeitadas.”

“Este assim chamado ‘documentário’ é apenas mais uma repetição de alegações datadas e desacreditadas. É desconcertante que qualquer cineasta credível se envolva com este projeto.”

O Festival Sundance de Cinema acontece em Park City, em Utah, a partir de 24 de janeiro.