Após ter sofrido um ataque homofóbico e racista na última semana, o ator e cantor Jussie Smollett retornou para os palcos em uma apresentação no sábado (02) em West Hollywood.

“Não estou completamente bem, mas eu vou continuar fazendo isso. Eu precisava estar aqui hoje” disse Smolett para a platéia durante a apresentação.

“Acima de tudo, eu vou lutar contra isso. Eu sou a versão gay do Tupac” disse o artista em referência ao rapper americano que foi assassinado. Essa não é a primeira vez que Smollett fala abertamente sobre o incidente, tendo comentado no último dia 30 que estava ajudando a polícia a encontrar os autores do crime..


Ator de Empire que foi espancado afirma que agressores gritaram slogan de Donald Trump durante ataque

O caso ocorreu no último dia 28 de janeiro. Jussie Smollett estava deixando um restaurante quando dois suspeitos se aproximaram e começaram a gritar palavras de baixo calão, de cunho racista e homofóbico. Depois, eles agrediram o ator com socos.

Em certo ponto, os autores do crime chegaram a enrolar uma corda no pescoço de Jussie Smollett, fazendo referência aos linchamentos de negros que aconteciam nos Estados Unidos até os anos 60. Nesse momento, também jogaram alvejante na vítima, que ficou com uma costela fraturada.

Os agressores usavam máscaras de esqui durante o crime, por isso, as identidades ainda não foram descobertas. Além disso, os policiais revelaram que Jussie Smollett havia recebido uma carta com ameaças oito dias antes do crime. No canto do envelope aparece a sigla MAGA (Make America Great Again, o slogan de Donald Trump).

Jussie Smollett assumiu sua sexualidade publicamente em 2015, em uma entrevista com Ellen DeGeneres.