A briga entre Johnny Depp e Amber Heard na justiça está se estendendo cada vez mais.

O Hollywood Reporter divulgou um relatório em que revelou novos detalhes de um processo de Heard contra Depp. Ou seja, um dos muitos entre eles.

Esse processo em questão, que está se desenrolando na Virgínia, gira em torno de acusações de difamação de Amber Heard contra Johnny Depp.


Os advogados da atriz alegam que seu ex-marido iniciou uma grande campanha de difamação contra ela. São mencionadas até mesmo declarações de Adam Waldman, o advogado de Johnny Depp, que repetidamente chamou as acusações de Heard de “farsas elaboradas” e fez outros comentários controversos sobre a atriz.

Há outro detalhe polêmico no processo que chama atenção.

Amber Heard alega que a campanha de difamação que Johnny Depp teria começado se estende às rede sociais, onde o ator teria pedido que bots fossem implantados para atacar sua imagem. Isso, é claro, violaria a Lei de Crimes de Computador da Virgínia.

O que Heard está indicando é que, por exemplo, todas as campanhas e boicotes organizados contra ela na internet teriam sido encomendados ou propagados pelo próprio Johnny Depp, e não por reais internautas ou fãs do ator.

É uma acusação que, de certa forma, envolve os fãs de Johnny Depp. Mas ela não foi aceita por um juiz do tribunal estadual da Virgínia.

O juiz em questão considerou que Amber Heard não alegou suficientes elementos de um crime de computador.

Por outro lado, o mesmo juiz permitiu que a atriz levasse adiante suas outras alegações de difamação, como a focada nos comentários do advogado de Johnny Depp. Ele citou especificamente que “essas declarações podem ter sido feitas com conhecimento real ou construtivo ou com negligência irresponsável do que é falso ou não”.

O caso em questão vai a julgamento na Virgínia em maio.

Polêmicas sem fim

Tudo começou em 2016, quando Amber Heard acusou Johnny Depp de tê-la agredido quando eram casados. Inicialmente, embora a acusação tenha caído como uma bomba na internet, nem Heard nem Depp fizeram muitos comentários sobre o assunto.

Alguns anos depois, porém, Johnny Depp deu início à batalha judicial depois que Amber Heard escreveu um artigo no qual comentava sobre sua experiência como vítima de abuso doméstico, o que o ator entendeu que claramente era uma referência a ele.

Assim surgiu o primeiro processo de difamação de Johnny Depp contra Amber Heard, com o ator apontando que nunca a agrediu e que era a verdadeira vítima de violência no casamento, mas tudo ficaria ainda mais complicado depois.

Depp moveu outro processo de difamação contra o The Sun, tabloide que o chamou de “espancador de esposas”. Esse caso em particular já foi julgado, e resultou em derrota para o ator.

Johnny Depp e Amber Heard se casaram em 2015 e se divorciaram oficialmente em 2017, embora já estivessem separados em 2016.