Segundo informações do Wall Street Journal, O Lobo de Wall Street, filme estrelado por Leonardo DiCaprio em 2013, pode ter sido produzido com dinheiro sujo, oriundo de uma empresa da Malásia fundada pelo primeiro-ministro do país.

No momento, o premiê malaio, Najib Razak, é acusado de ter desviado milhões de dólares do fundo estatal 1Malaysia Development Berhad (1MDB) e depois que o escândalo veio à tona, os investidores do filme dirigido por Martin Scorsese acreditam que parte de seu financiamento veio dessa 1MDB, empresa de investimento criada por Najib em 2009.

O primeiro-ministro e a companhia, presidida pelo enteado de Najib, negam as acusações.


Em função da relutância de Hollywood em fazer um filme sobre corrupção financeira, O Lobo de Wall Street levou seis anos para ser produzido, mas chegou a conseguir financiamento de 100 milhões de dólares de uma produtora pequena, chamada Red Granite Pictures.

No entanto, os investidores também acreditam numa ligação entre a 1MDB e a Red Granite, que teria recebido 155 milhões de dólares de investimento da empresa anteriormente citada por meio de uma operação envolvendo companhias de fachada.

Indicado a 5 Oscars, O Lobo de Wall Street é baseado na história real de Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio), que virou corretor da bolsa de valores nos anos 1990. Após ter fraudado investidores, ele ficou rico e passou a levar uma vida regada por sexo e drogas. Belfort eventualmente foi preso depois de declarar-se culpado de fraude e manipulação de ações.

Leonardo DiCaprio recentemente se envolveu em outra polêmica por conta do seu ativismo ambiental e pode ser banido da Indonésia – leia mais.