O novo filme do diretor Luc Besson, Valerian e a Cidade dos Mil Planetas, será o mais caro da história do cinema francês. A ficção científica teve um preço final de 197,47 milhões de euros para o estúdio EuropaCorp. Mas segundo o cineasta responsável pelo longa, o alto valor não é um risco.

“Como toda empresa de cinema, apenas exibiremos um projeto se houver pelo menos 80% de seu orçamento. Com ‘Valerian’, cobrimos 96% do orçamento com pré-vendas”, explicou Besson, em entrevista ao Screen Daily. “O risco para a EuropaCorp é de 4% do orçamento, portanto não há risco financeiro real. O risco para a empresa é mais um de notoriedade. Se o filme for um grande fracasso, perderemos credibilidade por fazer esses tipos de filmes. O risco não é financeiro, mas sim humano”, analisou.

Dane DeHaan (o Duende Verde de O Espetacular Homem-Aranha 2) faz o personagem titular, um agente que viaja no tempo, enquanto Cara Delevingne (Cidades de Papel) é sua companheira Laureline. Clive Owen, Ethan Hawke, Herbie Hancock e Rihanna completam o elenco.


Os quadrinhos, situados no século 28, foram criados em 1967 por Pierre Christin e Jean-Claude Mezieres, servindo depois de influência para Star Wars e o próprio O Quinto Elemento. Desde então, venderam mais de 10 milhões de cópias em 21 línguas.

Além de dirigir, Besson também escreveu o roteiro e produziu o filme por meio de sua companhia, a EuropaCorp.

Valerian e a Cidade dos Mil Planetas estreia no Brasil em agosto de 2017.