Recentemente, um pouco de controvérsia se abateu sobre a sequência de Mulher-Maravilha, que está planejada para início de filmagens em junho de 2018.

Uma fonte do site Page Siz relatou que a atriz Gal Gadot só faria o filme se o diretor Brett Ratner for demitido da companhia de produção que o banca, a RatPac. Ratner foi recentemente acusado por Ellen Page de homofobia, além de ser nomeado por várias outras mulheres em denúncias de assédio.

Falando ao programa Today, Gadot esclareceu os rumores: “Todo mundo sabe minha posição em relação a esse tipo de coisa, eu já falei tanto que as pessoas já sabem. No fim das contas, tanta gente envolvida com esse filme divide a minha opinião. Ele foi afastado e demitido na hora, muito antes daquele artigo sair ou eu poder fazer qualquer exigência”, disse.


 

A continuação de Mulher-Maravilha será lançada no dia 1º de novembro de 2019, com a diretora Patty Jenkins e o roteirista Dave Callaham (Godzilla) à bordo.

Mulher-Maravilha arrecadou mais de US$800 milhões mundialmente.