Mark Hamill, o Luke Skywalker na franquia Star Wars, admitiu em entrevista ao New York Times que inicialmente não gostou da abordagem dada ao Jedi no novo filme da série, Star Wars: Os Últimos Jedi.

“Essa parte foi difícil”, disse Hamill, se referindo ao exílio autoimposto por seu personagem na trama. “Você não quer admitir o quão possessivo você fica [com seu personagem]. Em algumas vezes você pensa, ‘Sério? É isso o que eles pensam de Luke?’. Não só discordei, como também me senti insultado. Mas esse é o processo e você tem que fazer parte do debate”, acrescentou o sincerão ator.

Ainda segundo Mark Hamill, Luke terá um papel “mais proeminente”, de maior destaque, na sequência de O Despertar da Força, comandada pelo diretor Rian Johnson.


“Eu disse a ele que todo mundo ia se inclinar para prestar atenção nas suas primeiras palavras”, salientou Johnson ao NYT. “Obviamente, Mark veio para esse novo filme com expectativas mais altas para seu personagem”, observou.

Hamill afirma que não ficou chateado com sua participação pequena em Star Wars: O Despertar da Força, porque a nova trilogia “não é mais sobre a gente”, se referindo ao trio original de protagonistas formado por Luke, Han Solo e Leia, mas reconhece que se “meteu em problema” com uma declaração dada anteriormente de que não concordava com os rumos de Luke Skywalker em Os Últimos Jedi.

“Eu me meti em problemas porque… publicaram uma declaração minha dizendo que discordava fundamentalmente de tudo que Johnson fez com Luke. Mas o que me surpreendeu [era] como ele viu Luke. E demorou um tempo para entender o modo de pensar dele, mas uma vez que cheguei lá, foi uma experiência emocionante. Espero que seja para o público também”, concluiu.

Mark Hamill pode ter dado dica sobre parentesco de Luke Skywalker e Rey

Star Wars: Os Últimos Jedi será lançado em 14 de dezembro deste ano. O Episódio IX fecha nova trilogia em 20 dezembro de 2019.