O remake de O Corvo, que seria estrelado por Jason Momoa, recentemente perdeu seu ator principal e seu diretor, Corin Hardy (leia mais).

Usando o Instagram, Hardey agora resolveu se pronunciar sobre o caso. Ele não revelou o motivo de sua saída, mas deixou claro que não foi por falta de interesse em continuar no projeto.

“Eu sabia desde o começo que a ideia de fazer uma nova versão de O Corvo não era para qualquer um, porque é um filme tão amado. E eu digo isso como um fã. Mas eu dei tudo de mim nos últimos três anos e meio para tentar criar algo que fizesse justiça a tudo que eu queria: desde o quadrinho adorado de James O’Barr, ao filme original de Alex Proyas, com muito respeito a Brandon Lee, e o desejo de fazer algo ousado, novo, que eu, um fã obcecado, poderia me orgulhar. E com Jason Momoa, meu time incrível de artistas e equipe técnica, nós chegamos tão perto. Mas às vezes, quando você ama muito algo, você precisa fazer decisões difíceis. E ontem, decidir que era hora de deixar este projeto sombrio e emocional para trás, foi a decisão mais difícil de todas. Prédios queimam, pessoas morrem, mas amor real para sempre” escreveu o diretor junto de uma foto com Momoa.


O Corvo | Diretor do original manifesta em carta ser contra o remake

As filmagens aconteceriam em Budapeste (Hungria) ainda em 2018, mas os problemas com o projeto começaram quando a distribuidora Sony ameaçou tirar o seu apoio.

Segundo o Deadline, as dificuldades na produção tem a ver com o controle criativo que o produtor Samuel Hadida, da Davis Films (detentora dos direitos autorais de O Corvo), quer exercer sobre o filme.

Momoa herdaria o papel que foi de Brandon Lee no clássico de 1994, em que um homem brutalmente assassinado volta à vida para se vingar.

O longa original é notável em parte porque Lee morreu durante as filmagens, atingido por  um tiro que deveria ser de festim.

I knew from the off, that the idea of making a new version of The Crow was never going to be for everyone, because it is a beloved film. And I say that as someone in love with it myself. But I poured everything I had into the last 3.5 years of work, to try & create something which honoured what the Crow stood for; from James O’Barr’s affecting graphic novel, to Alex Proyas’s original movie, with great respect to Brandon Lee and with the desire to make something bold and new, that myself, as an obsessive fan, could be proud of. And with @prideofgypsies Jason Momoa, and my amazing team of artists & film-makers, we came SO close. But sometimes, when you love something so much, you have to make hard decisions. And yesterday, deciding it was time to let go of this dark & emotional dream project, was the hardest decision of all. Buildings burn, people die, but real love is forever.

Uma publicação partilhada por Corin Hardy (@corinhardy) a