Sally DeLorean, a viúva do fabricante de carros John DeLorean, não receberá royalties pelo uso do veículo criado pelo seu falecido marido em De Volta para o Futuro.

De acordo com a reclamação, que foi arquivada neste ano, John DeLorean fez um acordo com a Universal na década de 1980 para que o estúdio pudesse usar o veículo em De Volta para o Futuro, incluindo em propagandas e merchandising. Contratualmente, ele ganharia 5% dos lucros de qualquer produto que usasse o DeLorean como objeto principal.

Ao longo dos anos, a Universal cumpriu o acordo, mas supostamente teria parado de pagar em dado momento. Em fevereiro um advogado da propriedade de John Delorean entrou em contato com a Universal, exigindo o pagamento devido. O estúdio alegou que pagou à companhia automobilística e não o fundador da companhia.


Viúva de John DeLorean processa para obter lucros de De Volta para o Futuro

O novo processo, portanto, exigia que tais pagamentos fossem revertidos aos herdeiros de John DeLorean, incluindo sua viúva, Sally DeLorean. Mas o juiz Jose Linares concluiu que tais pagamentos já foram inclusos em acordo realizado anteriormente entre Sally e a companhia automobilística. Em outras palavras, Sally DeLorean perdeu o mais recente processo contra a empresa fundada por seu falecido marido.

O fundador da empresa morreu em 2005. O processo não faz nenhuma citação do filme recente Jogador Nº 1, que usou a imagem do DeLorean como referência a trilogia De Volta para o Futuro.