A aguardada fusão entre Disney e Fox deu um passo importante nesta quarta-feira (27). O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a junção bilionária no Brasil. Agora, falta apenas o México dar o sinal positivo para que a casa do Mickey Mouse fique um pouco maior.

A única condição imposta pelo órgão brasileiro é de que a Disney terá que vender os canais Fox Sports. Na visão do Conselho, a empresa, que já tem as emissoras da ESPN, causaria um duopólio no mercado de transmissões esportivas.

“A venda do canal Fox Sports tem como objetivo permitir que a estrutura do mercado permaneça com a mesma pressão competitiva anterior à fusão, com a continuidade de três opções de canais de esportes para os consumidores no Brasil: SporTV (da GloboSat), ESPN e mais uma nova empresa com os ativos da Fox Sports”, informou a nota do Cade.


Acordo de fusão entre Disney e Fox pode ser anunciado até a metade de março, diz site

O órgão deixa claro que a Disney deve vender a marca, os direitos de transmissões, os equipamentos e também os imóveis da Fox Sports. O prazo para essa venda é ainda confidencial.

Com esse importante passo, o anúncio oficial do negócio é aguardado até a metade de março. A previsão é bastante otimista, já que anteriormente chegou a ser noticiado que a fusão poderia ser completada apenas na metade do ano.

A Disney e a Fox ainda não se pronunciaram sobre a situação.