James Cameron levou a franquia Alien para uma direção totalmente diferente com Aliens, o Resgate. Agora, o diretor por trás desse e outros clássicos da ficção científica, como Exterminador do Futuro 1 e 2, fala sobre seu papel na evolução dessa série de filmes e onde tudo deu errado.

“Eu amei a personagem de Sigourney, Ripley, amei a ambientação, o tom e amei o alien”, disse Cameron ao Yahoo Entertainment. “Eu era só um fã tentando fazer um filme como aquele”.

“Eu tinha meus próprios interesses e os próprios temas que queria explorar”, continuou Cameron. “Eu não estava tentando competir com Ridley; eu estava tentando entrar nisso e extrair a essência de Ridley na obra. Eu não consegui, porque não sou tão bom quanto ele… [então] eu meio que coloquei minha própria marca nisso. Acho que surgiu algo híbrido como resultado disso”.


Com isso, sem saber, James Cameron influenciou todo o futuro da franquia, abrindo espaço para que cada filme fosse diferente de seu anterior, seguindo tons diferentes e não algo pasteurizado como os filmes da Marvel ou os recentes Star Wars.

O diretor ainda comentou sobre o erro da franquia, cometido lá em Alien 3, por David Fincher, dizendo que foi um erro ter matado os personagens Newt e Bishop. Tanto a menininha, quanto o andróide foram introduzidos em Aliens, O Resgate.

“Você luta tanto para que essas pessoas sobrevivam, aí você chega no próximo filme e… eles morreram”, explica Cameron. Ele também revela não ter sido um fã da grande reviravolta do filme, de Ripley carregar a rainha alien dentro dela, mas diz que não culpa Fincher pelo erro.

“Entregaram para ele uma grande bagunça e ele tentou fazer algo com isso”, disse Cameron.

Por enquanto o futuro da franquia é incerto, visto que não há confirmação se veremos uma continuação de Alien: Covenant.