Os fãs de Johnny Depp aparentemente estão furiosos com a suposta decisão da Disney em cortar o astro dos futuros filmes de Piratas do Caribe.

O famoso se viu no meio de crescente polêmica em razão da sua briga judicial com Amber Heard, sua ex-esposa, que o acusou de agressão.

Ele ainda perdeu o processo contra o jornal The Sun, que o chamou de “espancador de esposa”, o que agravou o caso. Depois disso, Johnny Depp teve sua demissão requisitada de Animais Fantásticos pela Warner.


Em meio a esse cenário, a Disney teria cortado a ideia do produtor Jerry Bruckheimer em trazer Johnny Depp para o novo Piratas do Caribe. Um vindouro filme da franquia teria uma protagonista feminina (via Christine Kalio do The Things).

“Não há Piratas do Caribe sem o Capitão Jack!”, escreveu um fã online, em uma das petições lançadas pedindo o boicote do novo filme.

“Eu concordo totalmente. Os cineastas não vão receber um centavo de mim, porque não vou assistir sem o Capitão Jack”, escreveu outro.

“Se isso for verdade, não verei mais Piratas do Caribe”, escreveu mais um fã.

“Um filme de Piratas do Caribe sem o Capitão Jack Sparrow é como um filme de James Bond sem James Bond”, comentou mais um fã.

Amber Heard faz fortunas após derrota de Johnny Depp

Depois de Johnny Depp sofrer grande derrota contra o jornal The Sun, que o chamou de “espancador de esposa”, sua ex-esposa, Amber Heard deu a volta por cima.

Muitos fãs devotos do ator de Piratas do Caribe pediram pela demissão de Amber Heard de Aquaman 2, apesar de ter sido agredida, conforme determinou decisão judicial na corte britânica. Ela, todavia, apenas tem recebido mais ofertas.

Exemplo disso é a sua contratação pela The Harry Walker Agency para falar sobre os direitos de mulheres e violência doméstica.

“Como defensora dos direitos das mulheres e pelos direitos civis de sobreviventes de todo tipo de violência de gênero, Amber trabalha com organizações que encorajam sobreviventes a falarem sobre seus casos e retomar seus poderes. Amber faz viagens constantes para Washington D.C. para lutar a favor dos direitos civis de mulheres e incontáveis sobreviventes silenciosas de violência por ser mulheres”, diz o site da agência.

Para a contratação de Amber Heard em eventos, a agência cobra o valor de US$ 33 mil dólares, descrevendo suas palestras como “profundamente emocionantes”.