Poucos dramas históricos têm a vida útil de Titanic de 1997, 23 anos depois.

O filme, que pegou as sensibilidades de grande orçamento de outros filmes de James Cameron, como O Exterminador do Futuro, e as levou a um estágio de vida real e fundamentado, foi um momento crucial na história do cinema.

No entanto, só por ter uma base histórica, isso não significa que tudo no filme, que segue a jornada pelos olhos de um jovem casal (Jack Dawson e Rose DeWitt Bukater), seja da vida real.


Havia realmente um Jack Dawson?

Cameron afirma que quaisquer semelhanças entre Jack Dawson e passageiros da vida real são pouco mais do que coincidência. No entanto, isso não impediu as pessoas de tentarem encontrar equivalentes na vida real.

Vários documentários e livros notaram que um homem com as iniciais J. Dawson faleceu no Titanic, embora esse Dawson, nascido Joseph, fosse um companheiro de tripulação que afundou com o navio.

A história teve uma reviravolta bizarra em 2017, relata a TMZ. Um homem chamado Stephen Cummings, que trabalhava em iates, afirmou que era frequentado por Cameron no final dos anos 1980.

Cummings alegou em um processo que Cameron roubou a história de amor de Jack e Rose de um conto que contou sobre dois parentes. Cummings buscou US$ 300 milhões da receita multibilionária do filme, embora o caso nunca tenha ido a lugar nenhum.

O personagem interpretado por Leonardo DiCaprio foi uma criação ficcional baseada em pessoas da vida real com histórias semelhantes, embora verdadeiras. Isso é o que acontece quando ocorre um relato fictício de um evento real.

As pessoas podem surgir com críticas sobre a precisão histórica do filme, o que o próprio Cameron corrigiu.

Ainda assim, Jack e Rose foram criações simples para uma clássica história de amor de Hollywood. No entanto, o fato de o personagem de Leonardo DiCaprio parecer real é uma prova do legado duradouro do filme.

No Brasil, Titanic, com Leonardo DiCaprio e Kate Winslet, está agora disponível no Telecine Play.