Normalmente, produtores de conteúdo costumam se posicionar contra a pirataria – afinal, estamos falando de consumir um produto, uma criação, sem pagar. No entanto, alguns visionários tem opiniões diferentes sobre essa prática já tão difundida.

Pirataria dá prejuízo de mais de R$ 160 bilhões para sites de streaming, diz estudo

Confira:


JOSS STONE | “Eu não me importo como você ouve minha música, desde que você ouça. Eu me importo que você venha ao meu show e cante comigo, se divirta. O show ao vivo importa mais para mim”, contou a cantora de soul a um repórter pasmo durante passagem pela Argentina em 2008 – isso que chamamos de pioneirismo, já que na época a indústria fonográfica pegava ainda mais pesado com a pirataria.

NORAH JONES | Já a pianista e cantora Jones também se posicionou a favor da pirataria em 2009, dizendo: “Se você ouve, não ligo como ouve. Eu acho que a pirataria é bom para jovens que não tem dinheiro próprio para comprar música. Assim, eles podem ser expostos a coisas novas, que eles gostam”.

RADIOHEAD | Já em 2007, a banda lançava discos diretamente para download (o In Rainbows, liberado naquele ano, foi o primeiro), de forma que se mostraram ainda mais à frente do seu tempo que seus colegas de lista. Para o guitarrista Ed O’Brien: “Fazer download é a mesma coisa que fazíamos nos anos 1980 – ao invés de fitas, juntamos músicas na ordem que queremos no nosso computador”.

Shakira

SHAKIRA | A cantora colombiana diz que é fã da noção que pessoas estão ouvindo sua música de graça. “A música é um presente. É o que ela deveria ser, um presente, e não um produto. Eu me sinto mais próxima dos meus fãs agora que isso está acontecendo”, teria dito ela em entrevista em 2008.

Lady Gaga

LADY GAGA | Embora não goste nada quando seus vídeos ou músicas são vazadas antes da hora, Gaga é bem mais aberta com a possibilidade da pirataria uma vez que elas estão soltas no mundo. “Hoje em dia, o dinheiro do artista está na turnê. Um grande artista pode ganhar até US$ 50 milhões em uma turnê. Faça música, e depois se apresente. Não tem outro jeito”, disse.

DAVE GROHL | A fama de “cara mais legal do rock” cultivada por Dave Grohl é bem merecida, no final das contas. Até com o simples fato da pirataria ele parece ser bem mais relaxado que colegas de profissão. “Eu acho bacana, são pessoas trocando música entre si. Não tem nada a ver com a indústria. Os milionários tem que calar a boca sobre os 25 centavos por vez que estão perdendo”, disse.

Barry Jenkins com seu Oscar por Moonlight

BARRY JENKINS | Ele venceu um Oscar pelo trabalho em Moonlight: Sob a Luz do Luar, mas isso não impediu que Jenkins continuasse humilde – pelo contrário, o diretor estava viajando pelo México quando, na minúscula cidade de Muna, encontrou uma versão pirateada do filme. O resultado foi essa foto:

https://www.instagram.com/p/BR8tK8BBk6Y

MICHAEL MOORE | Não é tão surpreendente que o documentarista mais “libertário” do mundo seja também um apoiador da pirataria. Em 2011, ele foi visto em um protesto do Ocuppy Wall Street incentivando fãs a comprarem versões pirateadas de seu próprio documentário, Capitalismo: Uma História de Amor (2009).