Apesar de todas as coisas boas que o Superman fez ao longo dos seus 80 anos, ele pode ser um pouco desagradável. Ele constantemente mente para Lois Lane. Ele atormenta seu amigo Jimmy Olsen por diversão. Ele dá palestras chatas sobre o que é certo e errado, e luta contra seu aliado mais próximo, Batman, o tempo todo.

Aqui, listamos as dez coisas mais terríveis que o Superman já fez nas histórias em quadrinhos.

Abandonou o filho de seu melhor amigo no espaço


Enquanto crescia em Smallville, Clark Kent tinha dois amigos íntimos: Pete Ross, que sabia que Clark era secretamente Superboy, e Lana Lang, seu primeiro interesse amoroso. Quando cresceram, Lana mudou-se para Metrópolis para se tornar âncora de notícias e tentar conquistar o coração de Clark, colocando-a em conflito frequente com o principal amor do Superman, Lois Lane.

Pete, por outro lado, perdeu tudo. A esposa de Pete morreu cedo, e – pior ainda – Superman recusou-se a resgatar Jonathan, filho de Pete, de uma raça de alienígenas belicosos, deixando o pobre menino para se defender sozinho em DC Comics Presents #13.

Engravidou Lois Lane – e a matou

O atual Superman é casado com Lois Lane e tem um filho, Jonathan, mas houve um tempo em que engravidar Lois era mais ou menos uma sentença de morte. Em 1969, o autor de ficção científica Larry Niven descreveu que as diferenças entre a fisiologia humana e a kryptoniana tornariam o sexo e a gravidez muito difíceis para o casal emblemático da DC Comics. Mais recentemente, Superman matou Lois e seu feto na realidade alternativa de Injustice: Deuses Entre Nós, graças a algumas alucinações provocadas por uma dose especial de gás do Coringa.

Resolveu o problema do crime de Metrópolis ao expulsar os pobres da cidade

Quando apareceu pela primeira vez, Superman não era bem uma figura inspiradora, mas um progressista durão que lidava com sérios problemas sociais. Em Action Comics #8, Superman combate a delinquência juvenil, prometendo ajudar uma gangue de adolescentes que entraram para o mundo criminoso de Metrópolis.

Infelizmente, a maneira do Superman de ajudar as pobres crianças é destruindo sua comunidade, que também é atacada por bombas do exército. Em última análise, o governo substitui as favelas por uma série de bonitos e modernos prédios de apartamentos.

Imprimiu propaganda racista

Superman estreou em 1938, mas só se tornou o super-herói que conhecemos na década de 40. Grande parte da mitologia que cerca o Superman não veio dos quadrinhos, mas se originou com sua série de rádio, que começou a ser exibida em 1940. Finalmente, a Segunda Guerra Mundial ajudou a transformar Superman de um herói populista em um símbolo um pouco racista dos Estados Unidos.

Não, o Superman não lutou muitas vezes na Segunda Guerra Mundial porque dizia que confiava no exército, mas ficou em casa imprimindo panfletos contendo a mais ofensiva caricatura de um soldado japonês, contendo alguns antiquados ataques raciais.

Fez um vídeo pornô com a esposa de seu amigo

Em Action Comics #592, Superman acompanha Grande Barda, esposa do Senhor Milagre, no bairro mais violento de Metrópolis. Lá, Superman descobre que Barda sofreu lavagem cerebral de um vilão chamado Sleez, que a está usando para produzir uma linha de filmes adultos populares. Superman tenta resgatar Barda, mas finalmente cai sob o controle de Sleez, que faz com que Barda e Superman gravem alguns vídeos pornográficos juntos.

Matou um trio de criminosos kryptonianos a sangue frio

Como Superman decidiu que nunca mataria? Essa é a pergunta que o artista e escritor John Byrne tentou responder em Superman #22, uma das histórias mais controversas do Superman já contadas. Na história, Superman encontra-se em uma dimensão compacta onde um trio de soldados kryptonianos, incluindo uma versão de realidade alternativa do General Zod, eliminou toda a vida na Terra, exceto por Bruce Wayne e Lex Luthor.

Superman e seus aliados lutam valentemente, mas não são páreo para os criminosos da Zona Fantasma, forçando o Superman a tomar medidas drásticas. Primeiro, Superman expõe Zod e seus companheiros à Kryptonita Dourada, roubando-lhes seus poderes. Ainda assim, Zod promete caçar o Superman e destruir sua Terra, então o Superman mata o vilão e seus companheiros usando um pedaço da tradicional Kryptonita Verde.

Perdeu a cabeça e assassinou bandidos brutalmente

Enquanto Superman está deprimido por ter matado Zod e sua gangue, um combatente do crime mascarado chamado Gangbuster aparece em Metrópolis e começa a tomar o lugar do Superman, mas usando métodos muito mais duros. Ao contrário de Superman, Gangbuster não se importa em assassinar bandidos brutalmente, e a guerra de um homem contra o crime acaba colocando Gangbuster contra a polícia de Metrópolis e o Guardião, um veterano da Segunda Guerra Mundial.

Acontece que, em Adventures of Superman #450, descobre-se que Gangbuster era, na verdade, o próprio Superman. Seu remorso por ter matado Zod acabou criando uma espécie de dupla identidade macabra.

Expôs a identidade secreta do Batman

Superman não é um cara particularmente legal em Injustice: Deuses Entre Nós e ainda assim seu pior crime não é assassinato brutal, mas sim uma simples violação de confiança. Depois de saber que Batman, que lidera a resistência anti-Superman, sequestrou Gavião Negro e colocou o Caçador de Marte em seu lugar, Superman retalia tirando a única coisa que Batman mais valoriza: seu anonimato. Sim, Superman revela publicamente a identidade secreta do Homem-Morcego.

Construiu uma prisão particular para supervilões

Se está construindo algo apelidado de “Gulag” – um termo usado pela primeira vez para descrever os brutais campos de trabalho da era soviética -, provavelmente está fazendo algo errado. Isso não impede o Superman, no entanto, que decide em Reino do Amanhã que a melhor maneira de lidar com a geração mais jovem de meta humanos é trancando-os e deixando-os apodrecer em um terreno baldio no meio dos Estados Unidos.

Transformou a Terra em uma estação policial

Batman transformou a rede de celulares de Gotham em um sistema de vigilância de última geração em O Cavaleiro das Trevas, mas isso não é nada comparado ao que o Superman fez.

No final dos anos 90, uma série de sonhos proféticos faz com que o Superman perceba que seus métodos não estão mais funcionando, e Kal-El decide ficar um pouco mais proativo, construindo uma série de satélites espiões para vigiar a Terra, o que ajuda o Superman a acompanhar tudo o que está acontecendo ao mesmo tempo. Assim, ele abre mão de sua vida como Clark Kent para trabalhar como super-herói em período integral.

Quando percebe que não está dando conta do trabalho, Superman constrói uma legião de robôs do Superman para ajudar a manter a ordem, tornando-se um ditador benevolente.