Bruce Banner será sempre conhecido como o Hulk nos quadrinhos dos Vingadores, mas a Marvel agora revelou que existiu um Gigante Esmeralda antes dele.

Na revista one-shot The Immortal Hulk: Time of Monsters, a Marvel introduz um Hulk que existiu 10 mil anos antes de Banner.

Na Pré-História, um garoto descobre a Porta Verde, que conecta esse mundo ao submundo e, dessa forma, acaba ganhando os poderes do membro dos Vingadores.


“Há dez mil anos, algo verde e brilhante chega para envenenar a terra antiga do Crescente Fértil e o coração do seu povo. Um garoto precisa lidar com as consequências e, pela primeira vez, abre a Porta Verde”, diz a sinopse oficial.

A revista da Marvel é assinada por Al Ewing, Alex Paknadel e David Vaughan. Veja a capa, abaixo.

Conteúdo antissemita em Hulk?

Após uma grande polêmica nas HQs do Hulk, a Marvel ofereceu desculpas aos leitores, junto com uma possibilidade de troca ou reembolso dos quadrinhos.

A controvérsia em questão aconteceu na edição #43 de Immortal Hulk. A HQ apresenta vários problemas relacionados a estereótipos do povo judeu, incluindo uma bizarra representação da Estrela de Davi e erros intencionais na grafia da palavra “jewelry” (joias).

Em Immortal Hulk #43 – produzida por Al Ewing, Joe Bennett, Ruy Jose, Beladrino Brabo, Paul Mounts e Cory Petit -, Joe Fixit visita uma loja de penhores. É no interior do estabelecimento que os leitores perceberam os elementos mais problemáticos.

A janela da loja aparece acompanhada do nome “Cronemberg” (uma escrita errada para um típico sobrenome judeu) e de uma Estrela de Davi dourada – aparentemente sem uma razão específica.

Para piorar a situação, a palavra “jewelry” (joias) é escrita como “jewery”, um trocadilho com o termo “jew” (judeu).

A grafia trocada faz referência a conhecidos estereótipos do povo judeu, especificamente os relacionados com avareza e ganância por dinheiro.

O quadrinista Joe Bennett (que nasceu no Brasil!), emitiu uma nota de esclarecimento afirmando que “não tem justificativas” para a retratação da Estrela de Davi, e que até então não compreendia muito bem a periculosidade do estereótipo.

Bennett também se desculpou pelo erro no nome “Cronemberg”, utilizado como uma “homenagem” ao cineasta David Cronenberg.

A Marvel afirmou que corrigiria todas as versões futuras da HQ – físicas e digitais – para eliminar a suposta arte antissemita.

A companhia não revelou se Bennett será punido pela polêmica.

Anteriormente, a empresa agiu rapidamente para encerrar os contratos de quadrinistas que esconderam mensagens inapropriadas ou controversas no background das HQs – como Ardian Syaf, demitido após inserir conteúdo antissemita e anticristão em painéis da HQ X-Men Gold.

O site Screen Rant compartilhou a polêmica imagem de Immortal Hulk; confira abaixo!