Continua muito complicado para a Relativity Media tirar o reboot de O Corvo do papel. Segundo o Hollywood Reporter, o estúdio demitiu o último diretor, Colin Hardy, e ainda por cima corre o risco de perder os direitos da adaptação da história para o cinema.

O início das filmagens estava marcado para este mês, antes de os direitos serem revertidos para o produtor do longa original, Edward R. Pressman, mas com a perda do diretor, as chances do reboot ser engavetado de vez aumentaram.

Além disso, Pressman entrou com um pedido de concordata, solicitando a anulação dos direitos do estúdio de fazer uma nova versão de O Corvo.


No ano passado, a produção do filme já havia sido interrompida pela declaração de falência da Relativity Media. Antes de ser suspensa em agosto do ano passado, a pré-produção do filme estava acontecendo em Pinewood Cardiff.

Além de enfrentar longas batalhas judiciais, os produtores do longa acompanharam com o passar dos anos desistências de vários diretores e trocas de protagonistas – Luke Evans foi o primeiro a abandonar o cargo e mais recentemente foi a vez de Jack Huston ter desistido de viver Eric Draven. Um novo protagonista estava sendo procurado.

Cerca de US$ 7 milhões já foram sido gastos com a nova adaptação do longa de 1994 que, por sua vez, era baseado nos quadrinhos criados por James O’Barr na década de 1980. O’Barr, inclusive, servia como consultor do projeto, dirigido pelo novato Corin Hardy.

O Corvo conta a história de Eric Draven, músico assassinado que retorna com o objetivo de vingar a sua morte e a da sua noiva. O filme original se tornou cult e ainda ficou marcado pela trágica morte de seu protagonista Brandon Lee durante as filmagens.