O reboot de Xena: A Princesa Guerreira definitivamente vai tirar a heroína do armário. Em uma sessão de perguntas e respostas no Tumblr, o roteirista Javier Grillo-Marxuach (Lost) revelou que a nova versão abordará a homossexualidade de Xena e vai focar no seu romance com Gabrielle.

“Não há razão para trazer Xena de volta se não for para explorar por completo um relacionamento que só podia ser mostrado nas entrelinhas na série nos anos 1990”, afirmou o roteirista, se referindo à relação amorosa apenas insinuada das personagens.

Além de escrever os episódios, Grillo-Marxuach também servirá como produtor executivo da nova versão de Xena, ao lado de Rob Tapert, cocriador da série original, e Sam Raimi.


Durante entrevista (via Comic Book Resources) para promover a série Ash vs Evil Dead, Lucy Lawlesss comentou a nova versão de Xena: A Princesa Guerreira. A atriz voltou a afirmar que não está envolvida com o projeto e nem sabe se um dia se envolverá, já que “está muito cedo para dizer iso”. No entanto, “se o reboot não honrar a memória da série original, vou manter distância”.

Lawless também descartou retornar à pele de Xena, pois teme acabar “ofuscando” a nova protagonista.

Quanto à história da nova versão, Lucy Lawless espera ver um desenvolvimento da relação entre Xena e sua fiel escudeira Gabrielle e um pouco mais de humor.

Em entrevista anterior ao Hollywood Reporter, o presidente da NBC, Bob Greenblatt, afirmou que o reboot Xena “está em estágios iniciais de desenvolvimento. Eu não acho que será apenas uma continuação, mas ainda não chegamos nesse ponto [de definir a trama]. Xena é uma ótima personagem e vamos tentar descobrir como revivê-la novamente”.

Exibida originalmente entre 1995 e 2001, Xena: A Princesa Guerreira teve seis temporadas e 134 episódios produzidos.

A atração narrava as aventuras da ex-assassina Xena, que procura redenção para compensar seu passado sangrento. Xena é acompanhada em suas viagens por Gabrielle, uma jovem mulher que se torna sua melhor amiga e mais confiável aliada.

Durante seus episódios, a série usava livremente nomes e temas de fatos/figuras históricas e diversas mitologiaa – principalmente a grega – como Homero, a queda de Tróia e a captura de César por piratas. Algumas situações, porém, fogem totalmente da realidade histórica, como numa fase do seriado em que Xena mata quase todos os deuses do Olimpo.

Xena foi um derivado do programa Hércules (1995–1999), estrelado por Kevin Sorbo. A saga de Xena começou com uma participação especial da personagem em três episódios da atração original, em 1995. Nos dois primeiros episódios, Xena era uma das vilãs da série, mas no terceiro, ela se aliou com Hércules para derrotar o personagem Darphus.

Originalmente, Xena morreria no terceiro episódio, mas o sucesso da guerreira foi tanto que os produtores tiveram a ideia de criar uma série só dela.

Enquanto a nova versão não sai, Lucy Lawless retoma a parceria com Sam Raimi em Ash vs Evil Dead, série de TV baseada no terror dos anos 80 – veja a primeira foto da atriz na série.