Já se passou mais de uma década desde que Sex and the City deixou a TV e muita coisa mudou. E para a autora dos livros por trás da série de sucesso, Candace Bushnell, a história da personagem de Sarah Jessica Parker, Carrie, poderia ser bem diferente do que aconteceu no programa.

“Bem, penso, na vida real, Carrie e Big não teriam terminado juntos. Mas nesse momento, o programa de TV se tornou tão grande. Os espectadores ficaram tão investidos no enredo de Carrie e Big que se tornou um pouco como Sr. Darcy e Elizabeth Bennett”, explicou Candace, em entrevista ao The Guardian.

Para a escritora, a pressão do público fez com que o final da série terminasse com o casal junto. “Eles se tornaram um casal icônico e as mulheres realmente se relacionavam com ele; Eles diriam: ‘Eu encontrei o meu Sr. Big’, ou ‘acabei de terminar com o meu Sr. Big’. Tornou-se parte do léxico. E quando as pessoas estão fazendo um programa de TV, é mostrar negócios, não mostrar arte, então nesse ponto foi para o público e não estávamos pensando sobre o impacto que seria 10 anos depois”, minimizou.


A série foi revivida nos cinemas em 2008 e acompanhada por uma sequência em 2010. Ambos os filmes arrecadaram mais de US$700 milhões pelo mundo.