Grant Gustin, que interpreta Barry Allen na série do The Flash, se pronunciou via Instagram sobre as acusações contra o criador Andrew Kreisberg, que foi denunciado por assédio sexual por vários membros da equipe da DC TV.

“Às vezes eu esqueço que vivo em um mundo onde nem todo mundo tem os mesmos direitos e privilégios do que eu. Eu entendo que é meu privilégio que me faz esquecer. Ouvir sobre diferentes homens, de novo e de novo, especialmente na indústria em que eu trabalho, tratando mulheres como se fossem menos do que eles, e física e emocionalmente as abusando, se tornou algo diário”, escreve Gustin.

“Isso não é ok. Isso não pode se tornar o novo normal. Nessas últimas semanas eu estive incerto sobre o que dizer sobre isso, então aqui vai uma coisa: Eu quero ser melhor. Quero ser um homem melhor, um aliado melhor. Eu especialmente quero deixar claro a todas as mulheres na minha vida que eu as ouço, eu estou ao lado delas, eu as apoio”, escreveu ainda.


“Eu estou impressionado não só com as mulheres que levantaram sua voz nas últimas semanas, mas todas as mulheres que jamais fizeram isso. Eu não consigo imaginar o tão aterrorizante isso pode ser, e o quanto de coragem e força que isso demanda. Essas mulheres são as heroínas aqui, e deveriam se tratadas assim”, concluiu.

Declarações de igual força condenando as ações de Kreisberg foram lançadas por Stephen Amell (o protagonista de Arrow), Emily Bett Rickards (a Felicity da mesma série) e Melissa Benoist (a própria Supergirl) – veja-as aqui e aqui.

Veja as acusações originais contra Kreisberg aqui.