Roseanne Barr diz que “implorou” para a emissora ABC não cancelar sua série, Roseanne, após um escândalo de racismo durante o começo da semana.

“Eu implorei para Ben Sherwood, da ABC2, que me deixasse pedir desculpas e consertar a situação”, escreveu ela no Twitter. “Eu implorei que não cancelassem a série. Eu disse que estava disposta a fazer de tudo e pedi ajuda para consertar as coisas. Eu havia trabalhado fazendo publicidade para eles, de graça, por semanas – viajei com bronquite. Eu implorei pelo trabalho das pessoas”.

Roseanne | Revival da série não mencionará mais o nome de Donald Trump


Barr enfrentou uma chuva de críticas ao se referir com termos derrogatórios a uma ex-conselheira do presidente Barack Obama. Barr caracterizou Valerie Jarrett, que é afro-americana, como “uma mistura da Irmandade Muçulmana com Planeta dos Macacos”.

Desde então, Barr se desculpou no Twitter: “Eu peço desculpas a Valerie Jarrett e a todos os americanos. Eu realmente sinto muito por ter feito essa piada ruim sobre as políticas e o visual dela. Me perdoem, a piada foi de mau gosto”.

O chefe da ABC, Channing Dungey, liberou uma declaração junto com o anúncio do cancelamento: “As falas de Roseanne são repugnantes, aberrantes e inconsistente com os valores da ABC”.

Ao lado das nove temporada originais da série, exibidas entre 1988 e 1997, a próxima seria a 11ª temporada da sitcom.