A série The Umbrella Academy, nova produção original da Netflix, claramente é uma história sobre super-heróis, exceto por um detalhe.

Na trama, antes de Luther (Tom Hopper) retornar para casa após a morte de seu pai adotivo, o rico empresário e renomado cientista cientista Sir Reginald Hargreeves (Colm Feore), ele viveu na Lua por quatro anos, sendo muito solitário. O único momento de descanso de sua existência isolada foi quando o sol apareceu, lançando brilho através de seu capacete de astronauta, antes de gradualmente sumir de vista.

The Umbrella Academy | Explicamos o final da 1ª temporada


Mas o isolamento é apenas um preço pequeno para se pagar por um trabalho de herói. Descobrimos mais tarde que Sir Reginald escondia os pacotes enviados por Luther da Lua sob as tábuas do assoalho da academia, já que seu conteúdo simplesmente não fazia mais sentido.

Abordando mudanças de tempo e flexão de realidade, são as emoções destrutivas que compõe as maiores qualidades de The Umbrella Academy. Este é o coração da série, não as habilidades dos jovens para manipular a realidade ou conjurar os mortos.

The Umbrella Academy | O que esperar da segunda temporada da série da Netflix

É bem verdade que os extraordinários talentos de Lutero e seus irmãos desempenham um papel importante no seriado, proporcionando cenas divertidas que oferecem um alívio muito necessário às tensões familiares. É sempre muito divertido observar o Número Cinco (Aiden Gallagher) saltando através do tempo sem nenhuma dificuldade, e também é muito bacana quando Vanya (Ellen Page) descobre seus poderes, explorando suas habilidades.

Mas momentos assim só surgem quando são extremamente necessários. Afinal, aprofundam a história e oferecem aos espectadores uma nova visão sobre as mentes perturbadas dos protagonistas.

The Umbrella Academy | Intérprete de Klaus na série compara o personagem com Nathan de Misfits

Diferente do que acontece em Demolidor, The Flash e outros programas de super-heróis, a família Hargreeves não resolve seus problemas usando força bruta ou astúcia. O faz através da reconciliação e da cura familiar.

A destruição do mundo é uma consequência do domínio do pai e do abuso emocional que todos os setem irmãos foram forçados a suportar. As feridas não foram curadas, e este temática é o centro de The Umbrella Academy.

O espetáculo se concentra na emoção humana às custas do heroísmo. Parece uma grande decepção, mas é uma investida bem admirável num subgênero de TV cada vez mais comum.

The Umbrella Academy e as séries de super-heróis mais aguardadas do ano

The Umbrella Academy é uma história sobre traumas de infância. As consequências disso se escondem em todas as facetas da vida, desde as relações que os personagens têm com os outros até as que compartilham consigo mesmos.

Esta é uma história de super-heróis, mas não para quem busca simplesmente por sequências de ação.

The Umbrella Academy | Série da Netflix pode resolver um dos grandes mistérios dos quadrinhos

Na trama, um grupo de jovens superpoderosos, que passaram a infância juntos, mas se separaram com o tempo, volta a se reunir para investigar a morte do patriarca.

Ellen Page (Juno), John Magaro (Orange is the New Black), Mary J. Blige (Mudbound), Cameron Britton (Mindhunter), Colm Feore (House of Cards), Adam Godley (Breaking Bad), Ashley Madekwe (Revenge) e Tom Hopper (Game of Thrones) estão no elenco.

The Umbrella Academy está disponível na Netflix.