Grey’s Anatomy já fez parte de um experimento social secreto, envolvendo AIDS na gravidez. A série buscou mudar a percepção das pessoas acerca dos efeitos do HIV nos bebês de pais com a doença.

No 13º episódio da 4ª temporada de Grey’s Anatomy, Izzie Stevens (Katherine Heigl) conhece um casal que acha que estão grávidos. Izzie pega os resultados dos testes e Sarah, de fato, está grávida, no entanto, ela é HIV positivo.

O casal gostaria de abortar, para que o filho não nasça com HIV. No entanto, Izzie informa que eles podem ter um bebê saudável. Em um discurso comovente, Izzie conta ao casal que há 98% de chance do bebê nascer sem a doença. Com isso, eles decidem manter a gravidez.


O experimento social foi conduzido pela Kaiser Family Foundation (KFF), para ver se eles poderiam mudar as atitudes negativas das pessoas sobre a gravidez com AIDS.

O estudo considerou o grande potencial de séries populares de TV para educar o público sobre a saúde. O experimento foi muito bem-sucedido e a KFF reconheceu um aumento de 45 pontos percentuais no número de pessoas conscientes sobre a realidade da gravidez com AIDS.

Dessa forma, Grey’s Anatomy acabou melhorando a vida de inúmeros casais, que temiam ter um filho, ou filha, com HIV desde bebê.

A pandemia em Grey’s Anatomy

Grey’s Anatomy já tem definida a trama da 17ª temporada. O drama médico tocará na própria pandemia do coronavírus (COVID-19).

Por mais que a escolha esteja dividindo os fãs, a história afetará principalmente um personagem. Owen será um dos protagonistas da temporada.

Com a revelação, os internautas começaram a enviar mensagens para Kevin McKidd, o intérprete de Owen. Todos querem saber o que pode acontecer com o personagem.

No Twitter, o ator de Grey’s Anatomy respondeu um fã. Ao que parece, Owen não terá uma trama fácil – mas sim, sombria.

“Owen terá uma bola de demolição da realidade jogada nele, isso com certeza! Um longo período vindo aí”, indicou o ator.

No Brasil, Grey’s Anatomy tem exibição no canal Sony.