Nos últimos anos, a Netflix vem apresentando uma tendência preocupante: o cancelamento inesperado e precoce de várias séries queridas por público e crítica.

Embora seja difícil analisar as métricas de audiência de uma plataforma de streaming, essa é a justificativa que a empresa apresenta para o corte de diversas produções.

Muitos desses cancelamentos causaram verdadeira revolta em fãs, que criaram campanhas para o retorno das séries, organizaram movimentos em redes sociais e até mesmo deixaram de assinar o serviço.


Com a pandemia do coronavírus, até mesmo séries que já haviam sido renovadas para novas temporadas acabaram canceladas inesperadamente.

Em uma entrevista ao site Cinema Blend, uma das executivas mais importantes da empresa falou sobre o assunto; confira abaixo!

As razões da Netflix

A Netflix cancelou várias séries em 2020, inclusive GLOW e The Society, que haviam previamente sido renovadas para novas temporadas. A decisão deixou muita gente confusa sobre as motivações da companhia.

A plataforma também ‘matou’ outras produções após apenas uma temporada. Esse foi o caso de I Am Not Okay With This, Spinning Out e Away, mesmo com as três séries recebendo grandes elogios de fãs nas redes sociais e críticos especializados.

Para se entender melhor o motivo da Netflix cancelar tantas séries, é preciso analisar o modelo de negócios da empresa.

Para emissoras tradicionais, é importante encontrar hits que mantenham a audiência estável por prolongados períodos de tempo. Séries bem sucedidas da TV americana, como NCIS e Law & Order: SVU, ficam no ar por décadas sem sofrerem com perdas significativas de audiência.

Como a Netflix tem seu modelo de negócios baseado no número de assinaturas, a plataforma precisa sempre investir em novas séries que atraem uma maior quantidade de público.

Se uma específica série não está causando impacto suficiente, é um melhor negócio para a Netflix cancelar a produção e iniciar o desenvolvimento de outro projeto.

Além disso, o modelo de produção da empresa deixa as séries mais caras a cada renovação. O elenco recebe aumento nos salários e o público sempre espera tramas mais impactantes e impressionantes, o que sempre custa dinheiro.

De acordo com o site Deadline, a Netflix é conhecida por dar extrema liberdade criativa para diretores, roteiristas e produtores. Porém, na hora de renovar as séries, a plataforma é extremamente rígida.

Foi isso que Bela Bajaria, a diretora de programação global da Netflix, exprimiu em um papo com o site Cinema Blend.

“Já trabalho nesse negócio há um bom tempo, e com isso estive de todos os lados na hora dos cancelamentos. Sempre é doloroso cancelar séries, e ninguém quer fazer isso. Nós sempre procuramos produzir temporadas inteiras ao invés de episódios-piloto, o que às vezes resulta em mais cancelamentos de primeiras temporadas. Mesmo assim, acredito que esse modelo é um uso melhor das expressões criativas de um roteirista. E para nós também é mais interessante”, explicou Bajaria.

Séries que causam impacto nas redes sociais e principalmente em premiações dificilmente são canceladas. Stranger Things, Ozark e The Crown são ótimos exemplos dessa tendência.

One Day at a Time, no entanto, exemplifica o outro lado da equação. A série tinha uma grande base de fãs, mas não era vista por muitos assinantes da Netflix e não impressionava as premiações da TV. Por isso, foi cancelada mesma com baixo custo de produção.

Boneca Russa foi criada como uma minissérie de uma temporada só, porém com o sucesso da produção, acabou renovada para mais um ano. O mesmo aconteceu com A Maldição da Residência Hill.

Com isso, podemos concluir que existem duas chaves para o cancelamento ou renovação das séries da Netflix: audiência e impacto no público.