The Liberator é a nova minissérie de guerra da Netflix e traz uma comovente história real, ambientada na Segunda Guerra.

Centrada no Capitão Felix Sparks, The Liberator o acompanha enquanto ele retorna de volta aos seus homens após ser gravemente ferido em combate.

A série adapta o livro The Liberator: One World War II Soldier’s 500-Day Odyssey, de Alex Kershaw.


Sparks foi uma pessoa real, que liderou a 45ª divisão de infantaria, conhecida como Thunderbirds.

“A 45ª divisão de infantaria tinha mais nativo americanos do que qualquer outra”, disse o aturo do livro (via Johnny Brayson, do Bustle).

Essa divisão lutou por 511 dias na guerra e o próprio Sparks comandava respeito de suas tropas, sempre à frente da divisão, buscando acalmar seus homens.

Felix Laurence Sparks nasceu em 2 de agosto de 1917, em San Antonio, Texas e cresceu em Miami, no Arizona.

Ele se alistou no exército em 1935, em razão da Grande Depressão, por não conseguir encontrar emprego. Ele já era capitão quando a Segunda Guerra começou.

Em 6 de outubro de 1943, ele foi ferido em combate e evacuado, por ser considerado incapaz de continuar em combate.

Não abandonou o combate

Sparks, contudo, se recusou a abandonar seus homens e voltou para a central da 45ª Divisão.

Em agosto de 1944, sua Divisão encontrou um regimento alemão e durante a sangrenta batalha, Sparks deixou o seu tanque para puxar seus soldados feridos à segurança.

O alemão Johann Voss escreveu em seu livro de memórias que suas tropas poderiam ter atirado facilmente em Sparks, mas não o fizeram em respeito à coragem do soldado inimigo.

A história dos Thunderbirds culminou com a liberação do campo de concentração de Dachau, em 29 de abril de 1945.

Depois da guerra, Sparks se formou em direito pela Universidade do Colorado e entrou para a Suprema Corte do Colorado. Ele também organizou a Guarda Nacional do estado americano.

Ele faleceu em 2007, em razão de complicações geradas pela pneumonia.

The Liberator está disponível na Netflix.