Atenção! Contém spoilers de Grey’s Anatomy!

Com 17 temporadas e mais de 350 episódios lançados, Grey’s Anatomy conquistou milhões de fãs no mundo inteiro e se tornou o drama médico mais duradouro de todos os tempos.

A série exibiu neste ano o final de sua décima sexta temporada, encurtada devido à pandemia do coronavírus. Agora, com a estreia do 17º ano nos EUA, fãs estão impressionados com os desenvolvimentos da trama.

Em uma temporada que vai focar principalmente nos efeitos da pandemia sobre os hospitais e os médicos, grandes acontecimentos já foram confirmados no enredos dos personagens mais importantes.


Mas afinal de contas, o quão fiel a caracterização de Grey’s Anatomy é à realidade da pandemia¿

Um médico consultado pelo site TheList falou tudo sobre o assunto; confira abaixo!

Ficção e realidade

Para entender melhor a caracterização da pandemia em Grey’s Anatomy, o site TheList bateu um papo com o Dr. William Lang, ex-médico da Casa Branca e atual diretor da WorldClinic.

Lang encontrou alguns problemas com a trama da série, especialmente em sua ambientação temporal. Vale lembrar que Grey’s Anatomy retrata na 17ª temporada os primórdios da COVID-19, não os últimos meses de 2020.

“Embora sejam ambientados no início da pandemia, os episódios capturam o tom da primavera deste ano, quando muitos médicos e outros profissionais da saúde já haviam percebido que o sistema estava contra eles”, afirmou o médico.

Felizmente, dados os avanços recentes na pesquisa e combate das doenças, a situação melhorou um pouco.

“Hoje, profissionais da saúde podem lidar com o estresse de maneira mais efetiva. Muito mais do que quando estavam percebendo que a morte ou sobrevivência dos pacientes estava fora de suas mãos”, comentou Lang.

Segundo o médico, outros erros acontecem na trama de Tom, que testa positivo para COVID e fica em quarentena.

“Quando Owen notifica o Tom com o resultado positivo, diz que a quarentena deve durar 14 dias. A regra do CDC (Centro de Controle de Doenças) é de 10 dias de isolamento. Pessoas com COVID ficam isoladas, não em quarentena”, confirmou o médico.

Dr. Lang explicou que a diferença entre os termos “quarentena” e “isolamento” pode confundir muita gente.

“Se alguém é exposto a uma doença infecciosa – mas ainda não sabe se está infectado ou não – fica em quarentena. O isolamento acontece quando já sabemos que alguém foi infectado”, explicou o médico.

Após esclarecer a base real da trama de Grey’s Anatomy, o Dr. Lang elogiou a maneira como a série retratou as emoções dos médicos.

“Os personagens ficaram sobrecarregados com o enorme número de mortes, e esse sentimento realmente atingiu os médicos e enfermeiros da vida real. Principalmente nos primeiros dias da doença, quando não tínhamos ferramentas ou conhecimento para diminuir esse número”, opinou o Dr. William Lang.

A 17ª temporada de Grey’s Anatomy está sendo exibida nos Estados Unidos.