Bridgerton pode se basear em acontecimentos históricos, mas toma várias liberdades criativas na concepção de sua narrativa. Um deles diz respeito ao cigarro que Eloise fuma durante a série.

Ambientado em 1813, Bridgerton se passa em Londres, abordando a alta sociedade britânica da época. O problema é que os cigarros, sim, surgiram no início do século XIX, mas somente chegaram à Inglaterra duas décadas depois – nessa forma mostrada no seriado.

Até então, o fumo de tabaco ocorria principalmente por meio de charutos e cachimbos. Foi somente após o cigarro ser popularizado na França (e ganhar seu nome por lá), que foi exportado à Inglaterra.


Assim sendo, não teria como Eloise fumar o cigarro que vemos em Bridgerton, não dessa forma ao menos.

De qualquer forma, é um erro menos que não prejudica o desenvolvimento ou o aproveitamento da série.

Lady Whistledown existiu de verdade? Veja

Uma das personagens mais fascinantes de Bridgerton é a Lady Whistledown, que escreve sobre as fofocas da nobreza britânica. Mas fica a questão: ela existiu de verdade?

De fato, há precedentes históricos, uma equivalente da Lady Whistledown. No século XVIII existiu uma mulher conhecida como a Srª. Crackenthorpe, conforme aponta Katie Palmer, do Express.

A escritora britânica assinava uma coluna britânica que fazia parte da revista Female Tatler.

A publicação circulou apenas por um ano, de 1709 a 1710, mas representou um grande passo para as autoras mulheres.

Considerava-se que Crackenthorpe conhecia todas as fofocas da cidade e ela agia como autora anônima, similarmente à Lady Whistledown em Bridgerton.

Bridgerton está disponível na Netflix.