The Walking Dead já acabou nas HQs, mas tudo indica que a série ainda continuará na ativa na TV por muito tempo. Renovada para mais uma temporada e com filmes e derivados em produção, o mundo dos zumbis não deve deixar a TV tão cedo.

Na série, o personagem de Chandler Riggs é infectado por um zumbi e morre após se despedir dos entes queridos. Nas HQs, o personagem é um dos últimos sobreviventes do grupo original, e o capítulo final da saga é contado sob sua perspectiva.

A mudança surpreendeu muitos fãs da série, que acreditavam que Carl assumiria o papel de Rick após a despedida do pai.


O que muitos não sabem é que o personagem quase ganhou uma trama completamente diferente nas HQs!

Confira abaixo tudo sobre essa história!

O que realmente aconteceu?

O capítulo final de The Walking Dead é ambientado anos após a morte de Rick Grimes. Carl já é um adulto, casado com Sophia e criando sua filha em uma fazenda. Os zumbis, em sua maioria, foram controlados, e várias comunidades de sobreviventes prosperaram e se desenvolveram.

A história também traz uma confusão envolvendo Carl, um dos filhos de Maggie e um “circo de zumbis” controlado pelo personagem. No mais, a história termina com um final feliz, no qual a humanidade conseguiu se recuperar quase completamente da epidemia dos mortos-vivos.

Na última edição de The Walking Dead, Hershel (o filho de Maggie) é um dos antagonistas. Andrea, a esposa de Carl e irmã do jovem, afirma que ele é similar ao homem que matou Rick, Sebastian Milton.

Carl acaba entrando em conflito com Hershel quando o jovem falha em controlar seus zumbis, deixando um deles escapar para a cidade. Carl mata a criatura e Hershel acaba processando o filho de Rick pela destruição de sua “mercadoria”.

Quem decide o caso é Maggie, a presidente da Commonwealth, que instrui o juiz a não condenar Carl, contanto que ele providencie um novo zumbi.

Revoltado, Carl acaba perdendo a cabeça e destrói todos os zumbis de Hershel.

Depois de fazer uma viagem para reencontrar velhos amigos, Carl retorna para a Commonwealth para ser julgado – e provavelmente condenado – pela destruição dos zumbis de Hershel.

Surpreendentemente, a Juíza Hawthorne (fãs a conhecem como Michonne!) decide que exibir zumbis como atrações de circo é um crime, e que a posse dos mortos agora é ilegal.

Com isso, Carl consegue se livrar de uma pena de prisão e termina a história feliz com a família. É assim que chega ao fim a trama de The Walking Dead.

Porém, a história poderia ter se desenvolvido de maneira completamente diferente caso Robert Kirkman utilizasse uma trama alternativa.

A nova trama de Carl

“Quando pensei nessa história, cheguei à conclusão de que a saga chegaria até pelo menos o 12º volume”, comentou o criador de The Walking Dead.

O plano alternativo do quadrinista? Transformar Carl no protagonista.

Segundo Kirkman, a narrativa hipotética começaria com Carl chegando um pouco mais tarde no confronto entre Rick e Shane. O vilão conseguiria matar Rick, e Carl – mesmo testemunhando a morte do pai – permaneceria calado, pensando na segurança da mãe.

Com isso, Carl desenvolveria sua adolescência e crescimento sob a vigilância de Shane, e uma extrema tensão entre os outros sobreviventes.

A mudança tornaria Carl um personagem irreconhecível, marcado pelo trauma e rancor.

“Acho que se o foco fosse esse, a série não seria tão bem sucedida. Mas é uma alternativa interessante”, comentou o quadrinista.

A nova temporada de The Walking Dead estreia ainda em 2021.